segunda-feira, 24 de junho de 2013

Projeto estimula leitores e curiosos a trocarem ideias sobre obras literárias

Iniciativa do Mundo da Leitura da UPF teve primeira atividade na noite de sexta-feira (21/06). Encontros serão mensais.

Foto: Leonardo Andreoli/Imprensa UPF
Os amantes de literatura ou interessados em conhecer mais sobre algumas obras têm agora um novo espaço. O Centro de Referência de Literatura e Multimeios – Mundo da Leitura – da Universidade de Passo Fundo (UPF) lançou no último dia 21/06 o projeto Trocando Ideias. Leitores e interessados na obra de Gabriel García Márquez puderam conhecer um pouco mais sobre Cem anos de solidão e os diversos personagens da história.

A dinâmica do projeto é simples. Quem leu a obra proposta pôde participar das discussões com comentários ou mesmo esclarecer alguma dúvida. E quem não leu, mas está interessado, também pode participar da conversa que é aberta tanto para o público acadêmico, quanto para a comunidade externa. Os mediadores das atividades são os monitores do Mundo da Leitura Fernanda Lopes e Lucas Cyrino.

Para debater a obra de Gabo, como o escritor é chamado pelos leitores mais íntimos, os mediadores propuseram a criação de uma árvore genealógica da estirpe Buendía. Os participantes escolhiam um personagem para colocar na árvore e contavam um pouco sobre as percepções individuais a respeito de cada um.

Próxima edição
A próxima edição do projeto está marcada para o dia 02 de agosto. A obra a ser debatida será divulgada no blog do Mundo da Leitura -mundodaleituraupf.blogspot.com.br. No mesmo endereço eletrônico será divulgada a data dos encontros.

O autor e a obra
O colombiano Gabriel García Márquez é considerado um dos grandes contadores de histórias do século XX. Pai do realismo mágico, o escritor recebeu, em 1982, o prêmio Nobel de Literatura, já por seu notável trabalho consolidado com Cem anos de solidão. Segundo o próprio autor, ele tentava apenas imitar o tom com que sua avó materna lhe contava os episódios mais fantásticos: sem alterar um só traço do rosto.

Cem anos de solidão, lançado em 1976, conta a centenária e triste história da família Buendía, estirpe de solitários sobre a qual “não será dada uma segunda oportunidade sobre a terra”. Pode ser entendida como uma enciclopédia do imaginário, que consolida diretamente o realismo mágico latino americano e influencia a literatura fantástica e maravilhosa universal.

Fonte: http://www.upf.br/site/inc/noticias/mostraNoticia.php?codNoticia=19802

Nenhum comentário:

Postar um comentário